HISTÓRIA DA FOTO – CADEIRAS VERMELHAS

Tempo de leitura: 4 minutos

Casamento Melissa & Jansen, por Julio Trindade
Blumenau – Santa Catarina

Ficha Técnica:
Data:26-06-2010
NIKON D-700
Lente: Nikon 18-35mm
1/30   f:4
Flash off-câmera modo: M – por radio flash pocket wizard manual

Julio Trindade é apaixonado por fotografar pessoas, paixão que surgiu com os retratos de casamentos. Desenvolvendo uma nova carreira agora como instrutor e palestrante, falou pela primeira vez no maior congresso de fotografia de casamento da América Latina, o Wedding Brasil, em 2013. Esta no Hall da Fama do Inspiration Photographers.

Ele nos contou a História da Foto e compartilhamos com você!

“A fotografia de casamento, só faz sentido se for idealizada caso a caso, pensada sob medida para cada casal de noivos que fotografamos. Imaginem que, apesar de muitas vezes trabalharmos em uma mesma região, nas mesmas igrejas e salões de festas, com os mesmo fornecedores, só existe realmente uma variável desta equação que é alterada a cada episódio – OS NOIVOS, seus familiares e convidados. Sendo assim, nossos personagens principais, são as pessoas e suas expectativas, ansiedades e critérios pessoais. Só assim, conseguiremos alcançar o nosso maior objetivo, que é conquistar e fidelizar os nossos clientes.
Assim, segue a história da Melissa, que atendi em meu estúdio em 2010 e acredito que tenha tudo a ver com a temática, de contarmos a história por trás de uma foto. Ao chegar no meu escritório, após aquela conversa inicial, a noiva citou várias vezes que casaria em um teatro, e principalmente que, seria o primeiro casamento no palco deste teatro centenário da cidade de Blumenau – Teatro Carlos Gomes. Em nossa conversa, percebi que toda vez que falava no tal teatro, ela me informava com brilho nos olhos, que era um teatro com as “cadeiras vermelhas”, lindo e maravilhoso, rss.
O tempo passou e como não fomos contratados, não pensamos mais naquela noiva. Quisera o destino que, quinze dias antes do casamento, a cerimonialista dela me contatou, pois havia acontecido um contratempo com o fotógrafo contratado e eles haviam comentado no meu nome para as fotos de seu casamento.
Negócio acertado, parti em direção a Blumenau, para as fotos da Melissa e do Jansen, porém o tempo todo me vinha em mente a temática das tais cadeiras vermelhas. Não conhecia o local e não imaginava o que poderíamos produzir durante o casamento, afinal fotografar em um teatro é algo inusitado e muito raro. Ao chegarmos lá, me deparei com algo especial, muito lindo. Após a cerimônia, a cerimonialista me informou que teríamos 30 minutos livres e com um iluminador a nossa disposição, controlando toda a iluminação cênica do local. Meu Deus, daí eu pirei, kkkk… Mas nada me inspirava, até que parei e pensei em colocar a noiva no corredor. E ao discutir a iluminação com o meu colega, ele me deu uma dica: quem sabe iluminá-la no contra-luz. Era o que faltava!!! (às vezes precisamos ouvir mais e falar menos, pois esta pequena mudança, criou uma perspectiva diferente)
Esta imagem não existia, nunca ninguém havia feito algo assim naquele local, já que nenhum casamento acontecera no palco do teatro anteriormente. Porém, depois desta foto várias surgiram, tendo como referência algo que criamos exclusivamente para esta noiva. E gostaria de complementar, que quando virem algo inspirador, não copiem descaradamente. Procurem usar como referência, para quem sabe até, produzir algo mais belo, porém que seja de sua autoria e principalmente algo especial para o seu cliente.
Ainda hoje, recebemos algumas clientes que nos pedem algo assim, mas sempre explico que esta foto é única! É da Melissa e nunca a faremos novamente, pois foi um momento único . E produzimos um belo quadro de 2,5 m de largura, estampado na parede de nosso escritório.

 

Quadro Melissa_OK bx
Tenham como meta, quando forem fotografar um casamento, criar pelo menos uma imagem que, seja o símbolo daquele casal. Só assim, vocês conseguirão marcar presença de tal forma, que a família jamais lhe esquecerá. Eu posso lhes garantir, pois depois deste casamento fotografei mais cinco casamentos indicados pelo casal. Literalmente entrei para a família e acompanho desde então a gravidez das meninas e o crescimento dos pequenos que nasceram. Além é claro, do respeito e amizade conquistados através de um trabalho exclusivo e bem realizado. Este sempre será nosso maior crédito! O único porém, é que a cada irmã ou cunhada que eu fotografava, sempre me perguntavam: E aí Júlio, quero ver você se superar desta vez? 🙂 “

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *